You are currently viewing Cirurgia bariátrica pode aumentar a expectativa de vida em até 9 anos

Cirurgia bariátrica pode aumentar a expectativa de vida em até 9 anos

Com o aumento crescente do número de cirurgias bariátricas muitos questionamentos ocorrem. Estudo recente da revista Lancet de Maio de 2021 que fez um compilado de vários estudos com quase 175 mil pacientes demonstrou que o ganho de expectativa de vida de uma pessoa com diabetes e indicação de cirurgia é de 9 anos; e que o ganho em quem tem obesidade e não é portador de diabetes é de 5 anos, segundo essa análise.

O Artigo deixa claro, mais uma vez, que faz parte obrigatória da consulta médica de pacientes com diabetes tipo 2 e IMCs acima de 35, ao menos conversar e perguntar se o paciente já pensou sobre a possibilidade de cirurgia. Isso não significa que todos devam operar, porém devam saber dessa possibilidade afim de tomar a melhor decisão em relação a sua saúde. Diversos outros estudos mostram esse benefício, mas deixam claro que os melhores resultados cirúrgicos estão associados a um menor tempo de diagnóstico de diabetes (recomendável menos de 10 anos de tratamento). Além disso, vale lembrar que a diabetes, assim como a obesidade, é uma doença crônica e sem cura, mas que em alguns casos pacientes podem ou deixar de utilizar medicação ou eventualmente reduzir o numero de remédios e em paciente com uso de insulina a sua substituição por remédio via oral.

Atualmente, a cirurgia bariátrica e metabólica trata-se de um procedimento seguro e que vem mostrando excelentes resultados em pacientes operados portadores de obesidade e de suas comorbidades.

No nosso site você pode calcular seu IMC além de saber mais informações sobre a cirurgia.

Referência

Syn et al. Association of metabolic-bariatric surgery with long-term survival in adults with and without diabetes: a one-stage meta-analysis of matched cohort and prospective controlled studies with 174 772 participants. Lancet 2021 May 15;397(10287):1830-1841. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00591-2. 

 

Dr. Felipe Rossi

Deixe um comentário