You are currently viewing Distorção da imagem corporal pós-cirurgia bariátrica

Distorção da imagem corporal pós-cirurgia bariátrica

“A busca em atingir padrões de beleza impostos como ideal, pode afetar negativamente a percepção da imagem corporal de um indivíduo, e em especial aqueles que apresentam obesidade” (Apolinário, Claudino – 2000).

A aparência física exerce forte influência em nossas vidas, porém não apenas a forma como os outros nos vêem é que gera o maior impacto em nossas vidas, mas a concepção que temos sobre a nossa imagem que tem maior influência.

Essa concepção interna e subjetiva sobre o corpo é o que chamamos de imagem corporal, e não se refere apenas a aparência do corpo. A autopercepção corporal, as atitudes, práticas, sentimentos, crenças e os comportamento envolvidos ao corpo são envolvidos ao fenômeno da imagem corporal. Desta forma, imagem corporal é a representação mental que o indivíduo possui em relação a medida, contornos e forma, assim como das respostas a ele associados.

Para Pruzinsky e Cash imagem corporal relaciona-se às percepções, sentimentos e pensamentos sobre o corpo e suas experiências são preenchidas por sentimentos individuais. A imagem corporal influencia o comportamento, em especial as relações interpessoais. A imagem corporal é elemento essencial a formação da personalidade e que se inicia na infância e se modifica ao longo do seu desenvolvimento e crescimento, sofrendo interação de fatores biológicos, culturais, afetivos e ambientais.

Pesquisas demonstram transtornos da auto-imagem são observados tanto em indivíduos com transtornos alimentares, como em pessoas saudáveis. Nota-se mais no sexo feminino, e podem estar relacionados com a avaliação que fazem companheiros e familiares, o auto-conceito e a auto-estima, a excessiva preocupação com o peso, a ansiedade, depressão ou afeto-negativo, com a prática de dietas ou com o uso de dietas inadequadas.

Para muitos adultos com sobrepeso e obesidade, reduzir o peso pode ser a melhor terapia para melhora da auto-estima e imagem corporal. Contudo, a perda de peso rápida e de forma drástica observados em pacientes submetidos a cirurgias bariátricas, acarreta transformações na imagem corporal, sendo importante uma nova aprendizagem social, à medida que o corpo passa a estar em evidência e se torna foco de observações e elogios.

Segundo autores, mais de um terço dos obesos, em especial as mulheres, mesmo após grande perda de peso, não percebem grande melhora da própria imagem (“gordura fantasma”) e podem gerar críticas ao tratamento, por não atingir a melhora idealizada.

A mudança na forma física pode não ser acompanhada por uma mudança imediata na imagem corporal, considerando que a mudança psicológica ocorre de maneira mais adaptativa quando a mudança física é gradativa. Desta forma, quando ocorre uma perda grande de peso de forma drástica e acelerada, como na cirurgia bariátrica, é possível que o indivíduo ainda retenha em si uma imagem de obeso, que desaparecerá com o tempo, à medida que a perda de peso seja elaborada.

 

Dr. Ricardo Fernandes

Deixe uma resposta